Santa Casa homenageia Prof. Dr. Pedro Jabur

A Santa Casa de São Paulo realizou uma homenagem ao Prof. Dr. Pedro Jabur, que atuou na instituição por mais de 70 anos, exercendo a profissão com dedicação e amor. Para homenagear a sua trajetória profissional e o seu grande legado, a partir de agora a Enfermaria de Apoio do Hospital Central recebe o nome […]

A Santa Casa de São Paulo realizou uma homenagem ao Prof. Dr. Pedro Jabur, que atuou na instituição por mais de 70 anos, exercendo a profissão com dedicação e amor. Para homenagear a sua trajetória profissional e o seu grande legado, a partir de agora a Enfermaria de Apoio do Hospital Central recebe o nome Prof. Dr. Pedro Jabur.

A cerimônia de descerramento da placa foi realizada com a presença do Provedor Vicente Renato Paolillo, da Superintendente Dra. Maria Dulce G. L. Cardenuto, diretores e representantes da equipe da Clínica de Nefrologia do hospital.

Na oportunidade, Dr. José Ferraz de Souza, Médico Assistente da Nefrologia, realizou um discurso que destaca a importante trajetória do Prof. Dr. Pedro Jabur:

Nascido em 1922, na Rua Cubatão em São Paulo, próximo ao Hospital do Coração, o Professor Dr. Pedro Jabur, é o décimo filho de uma família de pais libaneses. Em 1941, entrou na Faculdade de Medicina da USP, em que as cadeiras clínicas eram ministradas na Santa Casa de São Paulo. Em 1943, foi aceito por concurso nas atividades da enfermaria do Prof. Celestino Bourroul (Catedrático de Moléstias Infecciosas e Parasitárias) da qual fazia parte como 1º Assistente o Prof. Oscar Monteiro de Barros. Quando as cadeiras clínicas foram transferidas para o recém-construído Hospital das Clínicas, passou a frequentar, ainda como estudante, a clínica médica. Após terminar o curso de medicina, permaneceu no Hospital das Clínicas por algum tempo, mas preferiu acompanhar o Prof. Oscar Monteiro de Barros (orientador dos primeiros passos) na Santa Casa de São Paulo. Em 1947, após concurso público, ingressou no IAPI (Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários) do qual foi superintendente e chefe da supervisão técnica. Em 1955, foi Prof. de Patologia Médica da Faculdade de Enfermagem São José, ligada à Santa Casa de São Paulo. Em 1957, com a epidemia da Gripe Asiática, que atingiu violentamente São Paulo, participou de forma gradativa no atendimento aos doentes. Participou nos anos 1960/1963 da formação de uma nova faculdade, organizando o hospital em departamentos, ficando sobre sua responsabilidade, a Clínica de Nefrologia. 1963 foi ministrada a aula inaugural da recém-formada Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Em 1966, deu a primeira aula da Disciplina de Nefrologia. Nos últimos 60 anos houve grandes mudanças não somente nos conhecimentos de nefrologia, na sua individualização como disciplina, no ensino nas faculdades e na formação e prática clínica do médico, mas também na prevalência e nas formas de apresentação das nefropatias. Em 1977 foi realizado o primeiro transplante na Santa Casa de São Paulo, sob coordenação do Prof. Dr. Pedro Jabur. Até o ano de 2016, com seus 94 anos, atuava de forma ativa como professor titular, nas aulas de abertura da Disciplina de Nefrologia da FCMSCSP. Em 2018, recebeu o título de Professor Emérito. Faleceu em março de 2020, deixando todo seu legado para o Departamento de Medicina e em especial para a clínica de nefrologia.

Finalizo com suas próprias palavras:

“Apesar dos avanços tecnológicos, a medicina não pode ser fria e mecanicista, afastando o médico do doente. É preciso valorizar a pessoa em si, visando o seu bem-estar, que deve ser a essência do atendimento”.