MUSEU

Histórico

Localizado no Hospital Central, o Museu Santa Casa de São Paulo – MSC-SP procura preservar a memória da construção e evolução da Santa Casa, bem como contar a história da cidade de São Paulo através de seu acervo e edificação. A formação do seu acervo teve início no ano 2000 pelas mãos do Sr. Mordomo Augusto Carlos Ferreira Velloso [in memorian]. Sua inauguração ocorreu em 2001.

Fundada há mais de quatro séculos, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo é uma instituição filantrópica e privada considerada um dos mais importantes Centros de Referência Hospitalar do Estado de São Paulo.

Não há registros da data exata de sua fundação, mas estima-se que tenha sido criada por volta de 1560. Sua trajetória é vasta e está desde o início atrelada ao desenvolvimento da cidade de São Paulo. A Irmandade já esteve alojada no Largo da Misericórdia, Chácara dos Ingleses e Rua da Glória, até ser inaugurado em 1884 o Hospital Central no bairro de Santa Cecília.

O acervo do MSC-SP é formado por objetos de diferentes naturezas – cerimoniais, religiosos, documentos textuais, fotográficos e periódicos, indumentárias, pinturas, esculturas, mobiliário, equipamentos médicos, entre outros. Os objetos, em sua maioria, eram da Santa Casa ou doados pela equipe médica e irmãos que passaram por esta instituição.

Roda dos Expostos

A primeira roda dos expostos da Misericórdia foi fundada em Portugal em 1498. Documentos atestam a existência da roda da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo desde 02 de julho de 1825.

A roda dos expostos era uma caixa cilíndrica de madeira que rodava dentro de um nicho do muro junto ao portão que dava para a rua Veridiana, onde está localizado o Hospital Central. As mães que, por qualquer motivo, não podiam cuidar dos filhos recém-nascidos, abriam a portinhola da caixa, deixavam a criança no seu interior e viravam o dispositivo para o outro lado do muro, tocando uma campainha que soava no dormitório das irmãs. As crianças eram retiradas da caixa, alimentadas, cuidadas e mais tarde, eram acolhidas no Educandário Sampaio Viana, onde eram educadas até atingirem idade suficiente para sair e se manter. A roda foi extinta em 1949, e hoje a antiga peça de madeira está exposta no Museu Santa Casa de São Paulo.